Câmara de Dourados institui Diploma Coronel Adib Massad

Diploma será outorgado aos servidores públicos que tenham se destacado em suas atividades profissionais junto ao DOF

André Bento


Adib Massad foi o primeiro comandante do GOF, nome de origem do DOF (Foto: Reprodução)

A Câmara Municipal de Dourados instituiu o Diploma Coronel Adib Massad, que será outorgado aos servidores públicos que tenham se destacado em suas atividades profissionais junto ao DOF (Departamento de Operações de Fronteira).

Essa comenda foi criada por meio do Decreto Legislativo nº 1.635, de 05 de junho de 2023, publicado na edição desta quarta-feira (14) do Diário Oficial do Município e assinado pelo vereador Laudir Munaretto (MDB), chefe do Legislativo.

A norma prevê que o diploma será concedido anualmente na semana que incluir o dia 28 de maio, data em que marca a criação do Departamento de Operações de Fronteira - D.O.F., em sessão solene destinada exclusivamente a esse fim.

A honraria será proposta por vereador e protocolada na Secretaria Legislativa, até o dia 05 de maio, contemplando um profissional por parlamentar. Além disso, a indicação deverá conter obrigatoriamente o nome completo, breve histórico de sua atividade junto ao DOF e o aceite do profissional.

Confeccionado pela Casa de Leis, o diploma terá no cabeçalho o Brasão do Município à esquerda com a escrita “Câmara Municipal de Dourados” e à direita o Brasão do Departamento de Operações de Fronteira, em suas cores oficiais.

A escrita “Diploma Coronel Adib Massad” ficará centralizada, na cor amarelo dourado, e o nome do profissional homenageado ficará em caixa alta cursiva. Depois, constarão os dizeres: “Águia da Fronteira - nas garras desta águia repousa a tranquilidade”, na cor amarelo dourado. Abaixo, à esquerda, a assinatura do presidente da Câmara Municipal e, à direita, do vereador proponente;

Falecido no dia 3 de março de 2021, aos 91 anos, Adib Massad foi o primeiro comandante do GOF (nome de origem do DOF), fundado no dia 28 de maio de 1987 para combater crimes no meio rural, como furto e roubo de gado e maquinários agrícolas. Contudo, o objetivo sempre foi assegurar a presença do Estado na extensa fronteira de Mato Grosso do Sul com Bolívia e Paraguai e as operações também resultam em vultuosas apreensões de drogas e contrabandos.